POR QUE CONTRATAR A CONSULTORIA DE IMAGEM?

Imagem do artigo "5 jeitos de usar camisa jeans". Clique na foto para visitar

Imagem do artigo “Como usar camisa jeans”. Clique na foto para visitar.

Ninguém duvida de que uma boa aparência move montanhas e pode nos colocar mais perto daquela promoção no trabalho do que a gente imagina. Você já deve ter se perguntado como funciona a Consultoria de Imagem, né? Antes de tudo, é um processo de auto-conhecimento e entendimento da sua aparência, seus atributos físicos e de como podemos fazer para otimizar a nossa imagem. Nada tem a ver com os gostos do profissional contratado para lhe guiar através do processo ou com qualquer desses mais que ultrapassados e antipáticos “certos e errados” divulgados pela mídia especializada a cada estação, mas sim com as suas características físicas, com aquilo de que você gosta, com o seu cotidiano. Por meio da Consultoria de Imagem a gente aprende a utilizar os códigos de aparência e do comportamento de modo a destacar seus pontos fortes, valorizar seu tipo físico e a mensagem que você deseja transmitir às outras pessoas.

Há quem queira mudar de estilo, quem busque otimizar o guarda-roupas ou mesmo transitar melhor por uma mudança de vida, como uma promoção, o fim de um relacionamento, perda de peso.. Na verdade, não há regras e nem padrão para quem resolve contratar este tipo de serviço que é personalizado e direcionado as necessidades específicas e características de cada pessoa, mas há algumas reflexões que considero fundamentais.

A gente não aprende a vestir o corpo que temos, a vestir “quem somos de verdade”, a se preocupar com a imagem. Homens são vestidos pelas mães, passam a ser vestidos pelas namoradas e depois pelas esposas. Dificilmente um cara é livre e se preocupa com a aparência espontaneamente. Vai ficando para “depois” e coisas básicas como acertar o tamanho das próprias roupas torna-se um pesadelo. É mais comum do que se pode imaginar encontrar homens que vistam roupas um número ou dois a mais, por exemplo.

Uma outra coisa é a “padronização da moda”. Eu venho de uma longa trajetória como produtora e jornalista de moda e uma das coisas de que mais tive e tenho verdadeiro PAVOR é do nivelamento das personalidades, da transformação das pessoas, leia-se homens e mulheres, em meros “cabides sem expressão”. O sistema de moda é uma das engrenagens mais massacrantes de que já tivemos notícia, capaz de destruir a autoestima, a personalidade e a autoimagem das pessoas num mudar de estação. É muito intrigante para mim ver homens e mulheres transformando-se em vítimas desse sistema, trocando de roupa e de personalidade, de imagem mesmo, a cada seis meses, muitos sem sequer exercerem a liberdade de escolher vestir-se do modo que bem entendem. Depois de que me dei conta disso tudo, sendo eu mesma uma mulher fora do padrão, que faz questão de ser o mais livre, fiel e comprometida com os MEUS VALORES e com a aparência que EU CONSIDERO adequada aquilo que escolhi para a minha vida, resolvi que trabalhar empoderando as pessoas através da Consultoria de Imagem para que elas sejam mais felizes e possam escolher a aparência que melhor as representem diante de suas propostas de vida seria o melhor destino que eu poderia dar a minha carreira de mais de uma década no mercado de moda. E aqui estou eu!  Fico feliz em colocar o meu conhecimento a serviço da felicidade e da autoestima das pessoas. Tem alguma dúvida? Podemos conversar mais pelo marcia@mistermag.com.br. 

Aqui estão dois cases de que me orgulho muito.

paulovictor

Esse é PAULO VICTOR MIRANDA. Na época, ele tinha 22 anos e trabalhava como Estagiário de Cooperação Internacional do Palácio do Itamaraty. Quando conversamos pela primeira vez ele se queixou de que as pessoas não davam lá muita bola pra ele e que eventualmente até ouvia umas piadas sobre suas roupas.

 paulovictorf03

Esse aqui é o Paulo depois da Consultoria de Imagem. Ele trocou a combinação não muito feliz de cores por um visual confiante, alinhado e adequado a seu ambiente de trabalho.

 

O estudante e produtor de eventos TEDDY VICTOR tinha 23 anos e uma grande dificuldade com a combinação de cores e estilos. Apesar do visual “surfista”, a identificação com a turma do rock foi uma das características que ele deixou bem claras na entrevista para definirmos como e o que trabalharíamos. A partir daí, começamos as mudanças.

Como grande parte dos homens brasileiros, Teddy tinha o costume de usar peças dois números maiores que seu manequim. Além do ar de “largadão”, roupas mais folgadas podem dar a impressão de que você está acima do peso. Ajustamos isso e encontramos peças que fossem mais próximas do estilo que ele admirava.

Sobre mim

me

Sou Márcia Rocha, uma apaixonada por moda e estilo masculinos. Atuei como produtora, jornalista e editora de moda e na direção artística de eventos de moda. Fui editora de moda do Jornal de Brasília, diretora artística e coordenadora do projeto de novos talentos do Capital Fashion Week, maior evento de moda do Centro-Oeste. Atuei no desenvolvimento de coleções e no desenvolvimento conceitual e na produção de campanhas para marcas masculinas e femininas de Brasília, como Avanzzo, Summershop, Jukaf, 2Tempos e Nyll. Fui editora de moda de diversas revistas de Brasília. Estudei Moda na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo e tenho cursos de extensão em jornalismo de moda, produção de figurino para artistas e personal styling masculino. Acredito que a gente é livre para escolher a aparência que melhor nos atende e que vestir quem somos de verdade é um dos melhores jeitos de ser mais feliz!

Desde 2001, me dedico ao estudo do guarda-roupa masculino e da Consultoria de Imagem para homens. Entre em contato comigo pelo marcia@mistermag.com.br. 

Saiba + no Linkedin

Curta o Mistermagazine no Facebook!

Fotos: Sueli Estrela