Conheça a Tricologia, ciência que trata a saúde dos fios e a calvície

O medo da calvície está para os homens assim como o ganho de peso está para as mulheres. Uma pesquisa realizada na Inglaterra pela empresa Mintel constatou que o medo de ficar careca perde apenas para o pavor de ostentar uma cabeleira grisalha. Um em cada dois homens entrevistados pela pesquisa, que reuniu duas mil respostas,  admitiu o pavor de fios prateados, enquanto 40% admitiram temer a queda de cabelo.

Conversamos com o  Tricologista Dr. Derneval Araújo, biomédico analista clínico e tricologista, para saber mais sobre as verdades e mitos relativos a saúde dos cabelos e à calvície.

Desvendando a Tricologia

A Tricologia, do grego thricos (cabelos) + logos (estudo), é um ramo da ciência que estuda a anatomia, a fisiologia e patologia do pêlo e cabelo do corpo humano. Criada em 1902, na Inglaterra, permite solucionar problemas dos cabelos e do couro cabeludo e reúne profissionais ligados a esta ciência direta e indiretamente, para integrar as áreas da saúde e da estética, em prol da vitalidade dos fios.

O diferencial da consulta com o tricologista é poder contar com um diagnóstico completo, desde a descoberta da origem do problema, a definição do tratamento mais adequado.

As áreas integradas a Tricologia

A cosmetologia explica detalhadamente as fórmulas de composição dos produtos capilares e suas ações, assim, é possível indicar o mais adequado. Já a farmacologia auxilia a Tricologia fornecendo os alicerces para o melhor entendimento das condições do paciente, diante de seu problema capilar. Se um paciente sofre de gastrite, pode ter aí a origem de seu problema, sendo necessário tratar primeiro o estômago para depois preocupar-se  com o cabelo. Não raro, a resposta para quase todos os problemas está na nutrição. O hábito alimentar saudável reflete no bom funcionamento de todo o organismo, interferindo diretamente na aparência da pele e cabelos.

Questões externas também influenciam na saúde dos fios. A Tricologia defende que questões culturais, políticas, sociais e econômicas podem influenciar diretamente na saúde e estado dos cabelos, assim como os fatores ecológicos, também chamados de microbióticos. Essas interferências desencadeadas pelo próprio meio ambiente podem não modificar a estrutura do cabelo, mas interagem com suas características. Já reparou que nas regiões tropicais do planeta a maioria das pessoas tendem a ter cabelos mais encaracolados? Isto se explica pelo fato de que, para se protegerem da incidência do sol, os fios necessitam enrolar-se, produzindo mais cisteína, importante nutriente para a beleza da pele, cabelos e unhas.

Estrutura do folículo piloso

Esta visão mais abrangente dos problemas que envolvem a saúde do homem está culminando na união de diversas áreas da medicina, trabalhando juntas para um único objetivo: melhor entendimento e análise do paciente, visando diagnósticos mais eficientes, métodos preventivos e, consequentemente  tratamentos mais eficientes.

Listamos, com o auxílio do Dr. Derneval, médico que está a frente do Dermótricos, um centro de Tricologia de Salvador, as perguntas mais frequentes e os medos que rondam os homens, quando o assunto é saúde dos fios.

1. Existem fatores determinantes para a calvície?

Sim, a informação genética que o paciente carrega. Outros fatores relativos ao estilo de vida também influenciam no processo, como o aumento da produção de testosterona, através da atividade física demasiada, contato excessivo com o cloro, presente na água do brasileiro, e outros hábitos como fumo, ingestão de alcool e stress. A boa notícia é que hoje já podemos mapear e prever a calvície em grande parte dos casos através do mapa genético, quando o diagnóstico é realizado no início do processo.

O processo gradativo da calvície

2. Existe cura para a calvície? Qual o tratamento mais adequado?

O exame sublíngual nos fornece registros da gravidade do problema a ser enfrentado pelo indivíduo. Quando realizado antes da idade adulta, até os 20 anos, garante maiores chances de sucesso e aponta os cuidados a serem tomados, sejam eles medicamentosos, nutricionais, cosmetológicos, físicos ou tratamentos estéticos como o laser e a Ventosoterapia, técnica que utiliza uma campânula de vidro ou outras formas de inspiradores semelhantes aos copos de ventosas sobre a pele, gerando uma sucção no local.

3. Quem deve se submeter ao mapeamento para identificar a calvície?

Repare no couro cabeludo do seu pai, se ele for calvo, fique atento!

4. Quais são os cuidados básicos para evitar a queda dos cabelos?

O stress acumulativo tem sido uma das principais razões motivadoras da calvície. Excesso de trabalho, queda de cabelo constante e o abuso do consumo de álcool também são responsáveis por problemas de atrofia capilar.

5. Qual o momento ideal para iniciar os cuidados?

A partir dos 20 anos. Esta é a melhor idade, os sinais ainda são sutis na maioria dos casos e os hormônios já estão equilibrados. No caso de atletas que praticam natação, principalmente quando esta é uma atividade realizada desde mais novo, procurar se precaver anteriormente, devido ao contato excessivo com o cloro.

6. Que cuidados contribuem para um cabelo saudável?

São dicas simples. Evitar o uso de bonés, que impedem a ventilação do couro cabeludo, controlar o consumo de comidas gordurosas, o aumento do colesterol e a obesidade, que contribuem para a perda dos fios. Diminuir o consumo de álcool e principalmente do cigarro, no caso dos fumantes, é também um grande negócio. Durante o banho, além de usar xampus neutros, evite o uso de condicionadores em cabelos super curtos e o contato prolongado com água quente. E para os homens que possivelmente sofrerão de calvície e pretendem ter filhos, sugiro a realização de um aconselhamento genético antes de gerar a criança, para prevenir e reduzir as chances de seu filho tornar-se calvo.

7. A barba exige cuidados específicos?

Sim. Muita gente nem atenta para isso, mas o ideal é evitar o uso de equipamentos elétricos na manutenção da barba, como máquinas de cortar cabelo e barbeadores elétricos. A energia do motor destes aparelhos desequilibra a eletricidade estática dos fios e da pele. É mais aconselhado o uso de lâminas, navalhas ou mesmo de uma tesoura.

8. Como surgem os cabelos brancos?

O cabelo branco nada mais é que a perda de melanina do fio. A informação genética que carrega, os produtos capilares de que faz uso, o modo como lava os cabelos, o contato com derivados de amônia, o dia-a-dia do indivíduo e a exaustão decorrente provocam alterações na síntese da melanina do corpo, que podendo culminar no surgimento precoce dos fios brancos, ou no aceleramento do processo. Para o indivíduo que já tem cabelos brancos, o cigarro e cloro são grandes responsáveis pelo amarelamento dos fios e os cuidados devem ser intensificados.

9. O uso de tinturas influencia no processo da calvície?

Sim, aconselho o uso de tinturas gradativas não metálicas (aquelas que não possuem metais pesados em sua composição), chamadas de tonalizantes, ou colorações de bases vegetais/orgânicas, reconhecidas por orgãos normatizadores. Lembre-se sempre que realizar a coloração, de procurar equilibrar o pH do couro cabeludo através de produtos específicos, ou adicionando gotas de limão na água que usará para higienizar a cabeça.

10. Quais são os remédios mais indicados para tratar a calvície?

Na maioria dos casos são prescritos remédios como a Finasterida, composto 4-azasteroide, potente inibidor da enzima 5 alfa redutase, que reduz a atividade androgênica do DHT (Diidrotestosterona), causador da maioria das calvícies masculinas. Também são prescritos Minoxidil, Ketocoanazol, Cimetidina, Flutamida, Ciproterone acetato, Antiandrógenos sistêmicos, Espironolatona, Progesterona tópico, Antiandrógenos tópicos e Cioctolo, no entanto, os médicos ressaltam alguns efeitos colaterais para cada situação. Recomendo que sejam feitas avaliações tricológicas, por meio de imagens microscópicas no couro cabeludo e cabelos, que possam identificar melhor o problema, evitando o uso de medicamentos para recuperações capilares sem prescrição de um médico.


Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.