O guia definitivo para cuidar do seu sapato de couro

Você capricha no visual, investe naquele paletó de caimento impecável, mas não liga muito para o seu sapato, afinal, o importante mesmo é a roupa, certo? Não! Um bom par de sapatos pode fazer muito mais pela sua aparência do que você imagina, sobretudo na hora de pleitear o emprego dos sonhos. Grandes executivos já revelaram que, ao entrevistar um candidato a vaga em uma grande empresa, “se pode conhecer um profissional pelos seus sapatos.” Sendo assim, que tal tratar melhor seus pisantes? Preparei um guia definitivo para prolongar a vida do seu sapato de couroDá uma olhada!

1. Sapatos são um investimento

A primeira coisa a fazer é enxergá-los como um investimento. Sapatos baratos são uma farsa fabricada a partir de cola, borracha e couro de baixa qualidade, geralmente rejeitado por fabricantes respeitáveis. Um bom sapato de couro é fabricado com matéria prima de excelência, o que naturalmente fará com que ele custe um pouco mais, mas valha a pena em termos de custo x benefício. Comprar bons produtos e cuidar de sua preservação contribui para o consumo consciente e, de quebra, ainda economiza o seu dinheiro. Dependendo da sua rotina e da sua roupa de trabalho, dois pares de sapatos pretos e dois pares marrons ou de outra tonalidade como vinho por exemplo, resolvem muito bem a complementação do seu terno ou costume.

2. Use um bom impermeabilizante

A água é extremamente prejudicial a vida útil do seu sapato de couro, camurça ou de qualquer outro material natural. Além de deformar o calçado, pode causar rachaduras, odores desagradáveis e até mesmo apodrecê-lo. Produtos impermeabilizantes funcionam como uma película protetora e invisível, que dificulta o acúmulo de sujeiras e o aparecimento de manchas ocasionadas pela penetração de líquidos na superfície do sapato. O ideal é adquirir um impermeabilizante no momento da compra e aplicá-lo antes de estrear o pisante, renovando sempre que necessário, de acordo com as instruções de uso.

3. Engraxe com produtos de qualidade

Engraxar seus sapatos é um ato de preservação que faz regularmente duas coisas: cobre e repara os danos do uso e do desgaste diário, além de nutrir e hidratar o couro, mantendo-o flexível e saudável. Para cumprir com essas funções é fundamental escolher produtos feitos a base de cera naturais e evitar as químicas, que dão brilho mas ressecam o couro. A frequência aconselhável para aquele “trato” nos seus pisantes é de, pelo menos, uma vez ao mês.

4. Invista em fôrmas para sapato

Sei que não é um costume muito comum entre os brasileiros, mas usar uma fôrma na hora de guardar o sapato ajuda o couro a manter a forma, evitando encolhimento e vincos. As mais indicadas são aquelas feitas de cedro, madeira capaz de absorver o suor e evitar odores desagradáveis, e que podem ser facilmente encontradas na Amazon. Mas antes que você comece a planejar a compra de uma coleção para atender todos os seus sapatos, lembre-se de que você não precisa de mais do que um ou dois pares. O tempo útil de uso das fôrmas nos sapatos é de algumas horas depois deles terem sido retirados dos pés. Após este período, os calçados retornam a forma natural, dispensando seu uso. Caso você não consiga encontrá-las, dá para lançar mão de um truquezinho: preencher os sapatos com papel ou jornal amassado, mas tome cuidado com o jornal se o interior do calçado for de cor clara, pois a tinta pode manchá-lo.

conservar-sapato-6
Fôrmas feitas de cedro são as melhores, já que essa madeira absorve o suor e evita odores desagradáveis

5. Guarde com carinho

Sapatos devem ser guardados no armário ou em sapateiras, dispostos um par ao lado do outro, com a sola para baixo. Vale também colocá-los em caixas com pequenos furos, sempre em um lugar arejado. Pra evitar ressecamentos, mofo, alterações como encolhimento ou ressecamento do couro e descolamento da sola, evite deixá-los guardados por muito tempo, colocando-os para ventilar pelo menos uma vez por mês. Considere estas dicas para guardá-los adequadamente:

  • Botas e sapatos de cano longo devem ficar com o cano na vertical e as linguetas para dentro. Se permanecem caídas para frente, correm o risco de acabar com um vinco permanente depois de alguns meses de armazenamento. Colocar uma cartolina enrolada dentro dele na vertical pode resolver..
  • Sapatos de camurça, ao contrário de alguns tipos de calçado que podem ser facilmente armazenados em sacos apropriados ou caixas, precisam ficar expostos para “respirar”. Mas lembre-se: longe da luz solar direta.
  • O melhor jeito de guardar seus tênis de academia ou sapatos esportivos (sapatênis) é recheando seu interior com papel para manter a forma e absorver o excesso de suor. De novo, evite o uso de papel de jornal, que pode manchar de tinta a parte interna dos calçados.

6. Use com cuidado

Utilizar uma calçadeira para colocar os sapatos é outra maneira de protegê-los de danos, já que o ato de forçar o calcanhar na parte de trás pode desgastá-lo rapidamente, assim como aquela mania horrível de pisar na parte traseira para fazer do seu calçado um “chinelo”. Na hora de retirá-los, esqueça o hábito de usar o pé oposto para livrar o calcanhar e descalçá-lo. Desamarre os cadarços e sempre utilize as mãos.

7. Dê uma pausa

Uma maneira de preservar os sapatos é realmente usá-los com menos frequência. Calçados, principalmente os de couro, precisam “respirar”.  Usá-los por dois dias seguidos pode causar, além da deformação, o acúmulo de umidade e o aparecimento de odores desagradáveis. Após um dia de uso, deixe seus sapatos em um ambiente arejado, à sombra, assim que forem retirados. Evite deixá-los no banheiro ou em ambientes úmidos. Caso você não possa evitar o uso seguido, tente enchê-los com jornal, deixando assim até a hora de calçá-los outra vez, para ajudar a reter a umidade.

8. Substitua o solado

As solas dos sapatos são como os pneus do seu carro: vão se desgastando e em dado momento precisam ser substituídas. O cabedal,  parte superior do sapato, chega a durar duas vezes mais do que o solado, que com a ajuda de um bom sapateiro, pode ganhar vida nova. Um bom profissional será capaz de lhe indicar o reparo apropriado para que o seu calçado volte a melhor forma.

9. Molhou? Calma, tem solução

Você foi pego de surpresa por um aguaceiro no caminho de volta pra casa? Agir rápido pode salvar a vida dos seus pisantes. Encha-os com jornal amassado e deixe secar naturalmente, longe do calor direto e nunca, nunca os coloque no sol, que pode até secá-lo mais rapidamente, mas irá danificar o couro. Se possível, com os calçados ainda úmidos, insira fôrmas de sapato para garantir que eles sequem uniformemente e mantenham sua forma.

10. Cuidando do sapato de camurça ou nobuck

Camurça e nobuk são materiais que causam uma certa confusão, já que os dois são parecidos visualmente e têm o toque aveludado, então, vamos distingui-los. Camurça é um tipo de couro de caprinos, felpudo, feito com a parte de baixo da pele desses animais.

conservar-sapato-9
A camurça tem um pêlo bem curto e o toque aveludado

Já o nobuck tem origem bovina, é menos felpudo e feito com a parte superior da pele dos animais, e portanto, mais resistente. Para cuidar de ambos, primeiro você precisa garantir que eles estejam devidamente impermeabilizados antes de levá-los para dar uma volta, como a gente já conversou lá no item 2. Para limpá-los, o ideal é um utilizar um produto destinado a esse tipo de material, senão, você corre o risco de estragá-los.

conservar-sapato-8
O nobuck é mais liso e resistente que a camurça

Para limpar

Utilize um spray especial para limpeza de artigos de nobuck e camurça. Ele é capaz de remover superficialmente as sujeiras, evitando o ressecamento e preservando o toque macio desses materiais.

Para dar vida nova

Use um renovador, que além de hidratar e renovar o nobuck e a camurça, realça suas cores.

Pronto! Agora não tem mais desculpa para descuidar dos seus pisantes…

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.